Almanaque umdoistres

Janeiro 2021

Todas as publicações em  Almanaque umdoistres são de textos e imagens que circulam diariamente entre as milhares de Caixas de Entrada de grupos que compartilham e-mails entre si. O endereço umdoistres@umdoistres.com.br, desde 2003 faz parte de incontáveis Catálogos de Endereço no Brasil e exterior. Nada publicado aqui é de autoria de nossa equipe - salvo quando assinado.

 Janeiro 2021  

Almanaque 2020  Almanaque 2019  Almanaque 2018    Almanaque 2017  Almanaque 2016  Almanaque 2015  Almanaque 2014   Almanaque 2013  Almanaque 2012  Almanaque 2011   Almanaque 2010   Almanaque 2009   Almanaque 2008  

Videos dos tombos mais engraçados da internet
 

https://www.youtube.com/watch?v=kqdvcjHJeGk

https://www.youtube.com/watch?v=J3CBHTfDISw

https://www.youtube.com/watch?v=jsNrAehRbO8

https://www.youtube.com/watch?v=EKD1pgZBPbk

https://www.youtube.com/watch?v=ItFi-eomRI8

https://www.youtube.com/watch?v=mJjO-NkuhDI

https://www.youtube.com/watch?v=3CqMNx1PeKM

https://www.youtube.com/watch?v=Cl7fKL2lhpU

https://www.youtube.com/watch?v=lFJW3-djI1s

https://www.youtube.com/watch?v=MsvEFc9JdsU

https://www.youtube.com/watch?v=UFNSAa1jK1A

https://www.youtube.com/watch?v=R4RQ2B3R4js

https://www.youtube.com/watch?v=wp9WxtMbHcA

https://www.youtube.com/watch?v=mNz4_oZpMJM

https://www.youtube.com/watch?v=IO0ud-ssFF8

https://www.youtube.com/watch?v=rCFNN6moBM0

https://www.youtube.com/watch?v=Iovzr4TB4Ik

https://www.youtube.com/watch?v=oB38FiwRZPY

https://www.youtube.com/watch?v=x8s-ueqTfN8

https://www.youtube.com/watch?v=6yOPygVIxtQ

https://www.youtube.com/watch?v=ANegDnlg_6o

https://www.youtube.com/watch?v=0Qxa6t4tG-I

https://www.youtube.com/watch?v=0o8eg3zK7PA


Olhem que legal...

No LINK abaixo, você faz um passeio de carro pela cidade que você escolher da lista, liga o som e vai aparecer a rádio local e vai simbora por aí! Muito legal pra dar uma fugida sem sair do lugar. Em tempos de quarentena, nada mal, né?
                                                             driveandlisten.herokuapp.com   

 TV antiga deixou cidade inteira
sem Internet pela manhã por 18 meses

 

Televisor de tubo gerava interferência tão grande que derrubou Internet de toda uma cidade

Uma TV antiga foi responsável por problemas na Internet de banda larga na pequena cidade de Aberhosan, no País de Gales. Os 400 moradores do local tiveram queda na conexão todos os dias por cerca de 18 meses, e sempre ao mesmo horário: às 7 horas da manhã. A provedora do serviço, intrigada com as quedas, chegou a trocar todos os cabos do vilarejo para eliminar o problema. Após uma análise cuidadosa, revelou que a interrupção do sinal estava diretamente relacionada a um televisor de tubo, cujo modelo e marca não foram revelados.

A rede de Aberhosan é formada por cabos convencionais, com fiação de cobre, e que acabam suscetíveis a interferências eletromagnéticas.
Segundo os técnicos que descobriram o problema, as quedas de conexão ocorriam sempre ao mesmo horário, pela manhã.

Como a troca de infraestrutura da banda larga da cidade não foi suficiente para resolver o problema, os profissionais decidiram percorrer o local com um analisador de espectro no horário exato das crises, na tentativa de encontrar alguma perturbação eletromagnética que pudesse explicar a instabilidade.

No fim das contas, o equipamento mostrou, exatamente às 7 horas, que um surto de interferência eletromagnética tomava conta da área. A intensidade era tão grande que a radiação acabava interferindo com o cabeamento da rede, tornando a conexão instável.



Cabos de fibra ótica não são afetados pela radiação eletromagnética

Com a ajuda do equipamento utilizado para analisar o espectro, os técnicos puderam isolar o problema e identificar sua origem em um aparelho de TV antigo – e de segunda mão – que era ligado todos os dias ao mesmo horário pelos moradores.

Depois do ocorrido, decidiram aposentar o televisor até ao menos o fim do ano, quando a operadora que atende o local pretende
trocar toda a rede da área por cabos de fibra ótica, cujo sinal não é afetado por interferências eletromagnéticas.

Uma curiosidade interessante a respeito dessas interferências é que você mesmo pode rastreá-las em sua casa com um rádio AM/FM.
Basta sintonizar o aparelho em 612 kHz e, se for possível ouvir um chiado, há fontes de radiação eletromagnética no ambiente que podem
explicar problemas com sua rede de Internet, caso a mesma ainda utilize cabos de cobre.


Fonte: https://www.techtudo.com.br/noticias/2020/09/tv-antiga-deixou-cidade-inteira-sem-internet-pela-manha-por-18-meses.ghtml                                 

Churrasco gaúcho versus paulista:
diferenças que geram polêmica à grelha


Costela bovina: essencial num churasco no RS
 


Qual o melhor churrasco que você já comeu? Foi no Rio Grande do Sul ou em São Paulo? Mais do que uma mera rixa entre estados, as diferenças entre gaúchos e paulistas no modo de assar carne podem ser explicadas pela história.
Para essa missão, contamos com a expertise de Marcos Livi, gaúcho e empreendedor gastronômico considerado um embaixador dos Pampas, e Clarice Chwartzmann. Nascida no interior do Rio Grande do Sul, em Passo Fundo, ela é apresentadora do programa "De Bem com a Comida", no Canal Rural, e ensina mulheres a pilotar a brasa e a grelha no seu projeto A Churrasqueira.

Tradição de vários séculos

No ano passado, o Brasil se consolidou como o maior exportador de carne do mundo. O fato, somado à frequência que o produto aparece no prato dos brasileiros, pode até fazer parecer que o boi é um animal nativo da nossa região. Mas não é bem assim.

 

 

 


Gaúcho a cavalo: controle do rebanho
 

O gado, na verdade, chegou ao país por meio dos colonizadores. A espécie se reproduziu principalmente na região dos Pampas, localizada no Uruguai, em parte da Argentina e no Rio Grande do Sul.

O rebanho, criado solto, foi abandonado por jesuítas espanhóis que deixaram os aldeamentos indígenas dos Sete Povos das Missões em consequência do Tratado de Madri, que definiu, de forma mais prática do que o de Tordesilhas, as terras que pertenciam a Portugal e a Espanha.


Pele de ovelha secando: venda de couro e consumo da carne

Nessa "brecha", surgiu uma nova classe, os gaúchos, que montavam a cavalo, encurralavam os bois e abatiam os animais para comercializar o couro e, é claro, alimentar-se do bicho.

Peças grandes de carne eram colocadas por eles em espetos de madeira e assados no fogo de chão. E foi assim que o churrasco se tornou a base da alimentação da região.

Por todos esses motivos, o churrasco tem tudo a ver com os gaúchos. Clarice confirma:
"O churrasco faz parte da nossa vida desde a infância. É uma cultura alimentar baseada na pecuária que começou na época dos jesuítas"




Clarice e Marcos: especialistas na cultura gaúcha

A tradição está tão enraizada que se manifesta até na arquitetura:
"Todas as casas no Rio Grande do Sul precisam de churrasqueira. Se não tiver, as pessoas nem compram apartamento", diz Clarice.

Cortes e modos de preparo

Os hábitos que envolvem o que comer e como fazer, em sua maioria, são herdados dessa história que acabamos de contar. Para compará-los aos costumes dos paulistas, Clarice dá a letra:
"Enquanto São Paulo olha para o Brasil e para o mundo no que diz respeito a tendência, o Rio Grande do Sul olha para o Uruguai, para a Argentina e para o seu próprio umbigo"

Embora essa realidade venha mudando com o fortalecimento do mercado de carnes de qualidade no Brasil, a premissa faz ser mais fácil entender uma série de diferenças que existem entre os dois estados.

De maneira geral, os gaúchos estão acostumados a assar a carne mais distante do fogo, o que faz com que o preparo seja mais lento e a preferência seja por peças maiores, como a costela.

 

 

 


Fogo de chão: peça demora mais tempo para assar

 

Marcos explica:
Faz pouco tempo que gaúchos começaram a comer cortes nobres como picanha, ancho e chorizo. Churrasco era sempre de carne com osso. Até hoje, se eu faço um churrasco e não tem costela, o gaúcho quer morrer"

O assamento ancestral chamado de fogo de chão também faz com que seja mais difícil de achar o ponto da carne. Em São Paulo, por sua vez, o cliente já está habituado a escolher um bife mal passado, ao ponto ou bem passado.

De acordo com Marcos, essas três opções não existem no assado tradicional. "O ponto vem com o uso da parrilla, onde o fogo é intenso e a carne fica a 20 centímetros de distância da brasa". Tipicamente argentino, o método é bem popular entre os paulistas e está conquistando espaço no Sul.

 

 

 


Carré de cordeiro: em São Paulo animal é separado por cortes

 

Outra tradição dos gaúchos é o consumo de cordeiro. Além de estar mais presente no churrasco do que em São Paulo, o animal é preparado inteiro, como na Patagônia.

Marcos faz uma ressalva: "Para mim, quando a gente desmembra uma carcaça, conseguimos ter um aproveitamento melhor do animal". Ponto para São Paulo, onde o cordeiro só vai à mesa em forma de carré, pernil, paleta...

O tempo e os acompanhamentos

É fato que estar ao redor do fogo é uma paixão compartilhada por gaúchos e paulistas. Para Marcos, em ambas as regiões, a comida não é significado só de se alimentar, mas de realizar uma espécie de evento.


Picanha: corte é mais comum entre paulistas

"Quando alguém te convida para um churrasco, você não pergunta se vão assar costela, cordeiro ou picanha. Você simplesmente vai".

Cada ritual, porém, tem as suas peculiaridades. "O churrasco tradicional gaúcho acontece de uma vez só. Ao meio dia todo mundo se serve da carne que é colocada ao centro da mesa junto de salada de batata, farinha de mandioca torrada e cuca", diz Marcos.

De acordo com ele, a refeição do gaúcho acaba quando o do paulista ainda está começando, lá pelas 13 horas. "Em São Paulo se come mais devagar, leva horas, acende o fogo dez vezes... Isso acaba valorizando mais cada corte que é servido".

E afinal, quem faz o melhor churrasco?

Sei que você, leitor, gostaria de uma resposta certeira. Mas determinar um campeão para esse duelo não é tão simples.

Isso porque, embora no Rio Grande do Sul tenha muita gente que faça churrasco e o hábito esteja presente em grande parte das famílias, não significa que todos executem as técnicas de maneira brilhante.


Churrasco em casa: reunião paulista é mais demorada

Da mesma forma que não é só porque São Paulo apresenta uma variedade de métodos e grandes assadores que todo o churrasco feito na região será o melhor.

"Pode ser no RS ou em Sampa, o melhor churrasco é aquele bem feito", diz Clarice, que na sequência brinca com a sua origem e joga lenha na fogueira:
"Mas o melhor mesmo é o gaúcho. Preciso puxar a brasa para o meu assado"

Para Marcos, os dois churrascos são diferentes e incomparáveis. "O gaúcho tem apego afetivo e o paulista gosta de reunir as pessoas ao redor do fogo. Então não tem o melhor churrasco, mas as melhores pessoas em volta de um bom assado".

Fonte: https://www.uol.com.br/nossa/noticias/redacao/2020/09/22/churrasco-gaucho-versus-paulista-diferencas-que-geram-polemica-a-grelha.htm


           Veja o que rolou nos grupos de WhatsApp