Almanaque umdoistres

Julho 2021

Todas as publicações em  Almanaque umdoistres são de textos e imagens que circulam diariamente entre as milhares de Caixas de Entrada de grupos que compartilham e-mails entre si. O endereço umdoistres@umdoistres.com.br, desde 2003 faz parte de incontáveis Catálogos de Endereço no Brasil e exterior. Nada publicado aqui é de autoria de nossa equipe - salvo quando assinado.

 Janeiro 2021  Fevereiro 2021  Março 2021  Abril 2021 Maio 2021 Junho 2021  Julho 2021

Almanaque 2020  Almanaque 2019  Almanaque 2018    Almanaque 2017  Almanaque 2016  Almanaque 2015  Almanaque 2014   Almanaque 2013  Almanaque 2012  Almanaque 2011   Almanaque 2010   Almanaque 2009   Almanaque 2008  

Confira alguns vídeos engraçados de animais no You Tube
 

https://www.youtube.com/watch?v=jyZk-quDh98

https://www.youtube.com/watch?v=3p5p3_wsJJ0
 
https://www.youtube.com/watch?v=URqNr_1-d-8

https://www.youtube.com/watch?v=2QGMcGTta8A

https://www.youtube.com/watch?v=Px9NdHAIsuM    

https://www.youtube.com/watch?v=YBodUbCYPjI

https://www.youtube.com/watch?v=HVDypkxEFSQ

https://www.youtube.com/watch?v=Sd18Tycj-_g

https://www.youtube.com/watch?v=94ZPnRKDX7Y

https://www.youtube.com/watch?v=VnQ3roDum68

https://www.youtube.com/watch?v=uVNW0W2gPBM

https://www.youtube.com/watch?v=mEA6jRxqYFg

https://www.youtube.com/watch?v=zbDQgFtce5M

https://www.youtube.com/watch?v=y-fd3uZfsrY

https://www.youtube.com/watch?v=JFgiolp6r9o

https://www.youtube.com/watch?v=rTA2bIv0TlM

https://www.youtube.com/watch?v=Qh9Xxnilcfw

https://www.youtube.com/watch?v=zS80n6DuUdU                   

https://www.youtube.com/watch?v=2acZIOSV9LY

https://www.youtube.com/watch?v=YYua5dBwZGg

https://www.youtube.com/watch?v=4l8156bBeDg

https://www.youtube.com/watch?v=JUwfhgFMDzg     

https://www.youtube.com/watch?v=j27wcRoYB9c

https://www.youtube.com/watch?v=G7fL7j9Xlj0

https://www.youtube.com/watch?v=MNuDh2gVQaU

Olhem que legal...

No LINK abaixo, você faz um passeio de carro pela cidade que você escolher da lista, liga o som e vai aparecer a rádio local e vai        simbora por aí! Muito legal pra dar uma fugida sem sair do lugar. Em tempos de quarentena, nada mal, né?
     driveandlisten.herokuapp.com   

 A mudança do Convento da Penha em Vila Velha em quase 60 anos !!!


Vila Velha teve um grande processo de reflorestamento
a partir de década de 70, algo bem visível nessa comparação

Só em 1900 - 1903, mais de 2.500 mudas foram plantadas no Convento da Penha.
O Convento da Penha foi o primeiro núcleo de habitação colonial da cidade, fundado em 1558, pelo frei espanhol Pedro Palácios.
Há 154m de altitude, foi o lar de freis franciscanos por muitas décadas.

Possuía várias lavouras e senzalas, com algumas ruínas existentes até hoje.

A partir do século 17 foi expandido, até virar um convento.

Mais tarde, toda a região foi restaurada, tanto o interior quanto exterior.
Em 1800, seu altar-mor recebeu 200 peças de 19 tipos diferentes de mármore.
A famosa Festa da Penha é celebrada na região desde 1570, normalmente no início de abril.

Vila Velha é a 5º cidade colonial mais antiga do Brasil, fundada em 1535 como capital do Espírito Santo.

Habitada pelos aimorés, goitacás e tupiniquins, os portugueses utilizaram a rivalidade entre os grupos como uma forma para consolidar seu poder.
Entretanto, os tupi repeliram os portugueses para 5km mais ao norte, estabelecendo uma nova capital, Vitória.

Embora Vitória fosse vantajosa do ponto de vista militar, quase 40% da cidade era coberta de morros, o que dificultou a autossuficiência do povoado.
Vila Velha foi então dividida em 60 lotes de terra para nobres portugueses.

A economia de cidade baseava-se principalmente na exportação de pau-brasil e cana-de-açúcar através mão de obra africana escravizada.

Em 1827, a cidade tinha pouco mais de 2 mil habitantes.

Com a aprovação da lei Eusébio de Queiroz em 1850, tornou-se ilegal importar africanos escravizados para o Brasil.
Assim, o Espírito Santo foi uma das primeiras regiões a importar imigrantes italianos como força de trabalho.
Atualmente, é o estado com a maior ascendência italiana do Brasil - 65%.

Com a intersecção das culturas africana, indígena e europeia, a cultura capixaba emergiu como uma das diversas do sudeste, principalmente no sentido musical e festivo.

Foto antiga colorizada por: @geopizzza.

Grupo de estudos, ciências e afins: https://www.facebook.com/groups/320662222359793/?ref=share

Márcia Molina.

(Por favor, mantenha os créditos no texto, esse tipo de pesquisa dá bastante trabalho... Obrigada!!).

O que é ser do Centro-Oeste,
"a terra do pôr do sol mais mágico do Brasil"

"No Centro-Oeste, o céu é diferente das outras regiões, pois parece mais próximo, bordado de estrelas"

 Mato Grosso do Sul é o caçula dos vizinhos do Centro-Oeste: Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal. Nos últimos tempos, cansada de ser confundida com os amigos do "Norte", a população criou um bordão que é gritado a plenos pulmões quando erram seu nome: "Do Suuuulll". Geralmente, quando políticos, artistas e palestrantes vêm dar as caras por aqui, logo são aconselhados a não confundir os estados que até 1977 eram unos: "É Mato Grosso DO SUL, não esquece!" É que, para quem vive por aqui, fica nítido que o sul-mato-grossense tem sua própria cultura, seu jeito e suas manias, seja na capital Campo Grande ou no interior.

Vaqueiro, no Mato Grosso do Sul

O bordão "Do Sul" é um grito de alerta. Para mim, que cheguei do Rio Grande do Sul para cá em 1979, aos 10 anos de idade, aprendi logo que a mistura é a base de tudo por aqui. Provavelmente, em nenhum outro lugar se aprecia a tríade churrasco-mandioca-shoyu, reunindo no mesmo prato as influências das gastronomias gaúcha, indígena e japonesa.

É fácil notar também que Mato Grosso do Sul é o Estado mais paraguaio do Brasil, com a maior colônia do país.

A maioria das 79 cidades de MS está na faixa de fronteira com o Paraguai e os hábitos dos sul-mato-grossenses confirmam a herança paraguaia, como compartilhar diariamente o tereré bem gelado em uma roda de amigos, falar várias expressões em guarani e comer todos os dias a chipa, espécie de "pão de queijo paraguaio".



Tererê, tradição regional

Para se ter uma ideia, eu mesmo fui muito mais vezes para Assunção do que para Cuiabá ou Brasília, por exemplo. A capital paraguaia, onde me sinto realmente em casa, fica mais perto de Campo Grande do que São Paulo.

Não dá para esquecer que as músicas mais famosas e populares de compositores sul-mato-grossenses carregam uma forte herança dos ritmos paraguaios da polca e da guarânia.

"Trem do Pantanal", de Paulo Simões e Geraldo Roca, conhecida na voz de Almir Sater, é uma guarânia e já foi eleita como uma espécie de hino não oficial do Estado.

Aliás, esta canção que fala do trem que ia de Campo Grande a Corumbá, passando bem no meio do Pantanal, também faz lembrar que o Mato Grosso do Sul é um local de passagem para vários lugares e entre eles um dos mais famosos da América do Sul: Machu Picchu, no Peru.
 



Três Lagoas, Matro Grosso do Sul

É só atravessar a fronteira em Corumbá para a Bolívia e embarcar em um trem até Santa Cruz de La Sierra. Dali pode-se ir até La Paz de avião, pegar um ônibus para Cusco, passando pelo Lago Titicaca, seguir para Águas Calientes e estarás aos pés das montanhas sagradas onde está a sensacional cidade inca, declarada Patrimônio Mundial da Humanidade.

Percorri exatamente este roteiro com meus parceiros Jerry Espíndola e Márcio De Camillo, do trio Hermanos Irmãos, em 2016, refazendo o mesmo caminho que Geraldo Roca e Paulo Simões traçaram em 1975, quando fizeram "Trem do Pantanal". Aproveitamos para registrar a viagem e produzir um clipe com uma nova versão da canção.

Corumbá tem esta conexão com os Andes, mas também guarda uma ligação histórica pelo Rio Paraguai com Cuiabá, a alegre e festiva capital mato-grossense.

Cuiabá, Mato Grosso

Calorenta por natureza, estar na cidade cuiabana é sentir a hospitalidade daquela gente com sotaque próprio, que adora uma cerveja, um bom papo e já cultiva e molda uma identidade própria desde os 1700, quando os bandeirantes acharam ouro naquelas bandas.

Um dos itens identitários mato-grossenses que mais me atrai é o rasqueado cuiabano, uma adaptação musical influenciada pela música paraguaia e que se mistura com o folclórico cururu e siriri. Diversão garantida e baile animado na certa.

Impossível também ir a Cuiabá e não chegar até Chapada dos Guimarães, este lugar mágico. Seu ponto turístico mais conhecido, a Cachoeira do Véu da Noiva, realmente impressiona quando visto de perto com seus 80 metros de queda d'água.




Cachoeira Véu da Noiva, Chapada dos Guimarães, Mato Grosso

É interessante notar a produção de artes visuais em Cuiabá, com o surgimento de muitos talentos na área desde os anos 1970, comandado pelo pintor Humberto Espíndola e a crítica cultural Aline Figueiredo.

Um dos mais marcantes entre estes talentos nos deixou há poucos meses e era um dos que mais me impressionava: Clóvis Irigaray. Falecido aos 72 anos no último mês de abril, com tatuagens espalhadas pelo corpo todo, inclusive o rosto, Clovito retratou povos indígenas em situações cotidianas das cidades em um dos movimentos mais originais da cultura brasileira. Sua série "Xinguana" é sensível, provocativa e comovente.

Enquanto já vi de perto as artes visuais pulsarem na capital cuiabana, tenho muita vontade de ficar em Goiânia por alguns dias para acompanhar os famosos festivais de rock da cidade, como o Bananada e o Goiânia Noise.

 



Goiânia Noise, Goiânia, Goiás

Curioso como um lugar onde a cultura sertaneja é tão forte (em Campo Grande é igual), o movimento roqueiro possa acontecer de maneira paralela e gerar uma banda de altíssimo nível como Boogarins, por exemplo.

Enquanto isso, apesar de Brasília ter ficado famosa por seus grupos de rock nos anos 1980, no Distrito Federal um dos endereços certeiros é o Clube do Choro de Brasília, com sua sede assinada por Oscar Niemeyer. Aliás, é impossível não pensar no arquiteto na Capital

 

Brasília, Distrito Federal

Mas se tem algo que o visitante do Centro-Oeste vai perceber e ouvir na maioria das cidades é que o pôr do sol é o mais lindo do Brasil e o céu é diferente das outras regiões, pois parece mais próximo, bordado de estrelas e impressiona nas noites de lua cheia.

Seja no Pantanal, na Chapada dos Veadeiros ou Guimarães, na Serra da Bodoquena ou do Amolar, no Centro-Oeste é assim: na dúvida, olhe para o céu e, por Toutatis, que ele não desabe sobre nossas cabeças!


Fonte: https://www.uol.com.br/nossa/curadores-e-criadores/2021/05/24/o-que-e-ser-do-centro-oeste-a-terra-do-por-do-sol-mais-magico-do-brasil.htm

          

Veja o que rolou nos grupos de WhatsApp