RIOS ONDE NADEI.

Por Alcindo Garcia*

Comemorou-se recentemente o Dia Mundial do Meio Ambiente oficializando decreto que já existia, oficializando o Comitê da Bacia Hidrográfica do rio Paranapanema. A Lei Federal 9.433 de oito de janeiro de 1997, já garantia às atuais e futuras gerações, a importância da gestão automática dos recursos hídricos, servindo de base para oficializar o decreto já existente, focando o rio Paranapanema, por se tratar de um rio de domínio da União, cuja bacia abrange dois estados – São Paulo e Paraná, reunindo vários comitês paulistas e paranaenses. Em 22 de abril de 2009, a cidade de Ourinhos – SP saiu na frente, constituindo seu grupo de trabalho para definir diretrizes a vista de seus recursos hídricos. A partir de então, outros municípios passaram a integrar comissões para elaborar também seus mapas hidrográficos.
O acervo cultural de Avaré é um modelo. Narra a história de um de seus mais importantes rios, o Rio Pardo, principal rio da Bacia Hidrográfica do Médio- Paranapanema. Conta que sua nascente é no município de Pardinho, a 1007 metros de altitude, atravessando quinze municípios, começando em Pardinho passando por Ourinhos e chegando ate Salto Grande. Impressionante a descrição desse mapa hidrográfico, revelando afluentes, nascentes, cascatas, corredeiras, cachoeiras, além de suas mais antigas usinas hidrelétricas Daí se considera a importância para incentivar autoridades municipais a cuidarem das bacias hidrográficas, pois em alguns municípios os rios estão sendo degradados.
É necessário que se divulgue que cultura não é só de milho, soja, banana, mandioca, etc. Estas safras dependem não só do clima, mas principalmente de seus recursos hídricos que margeiam essas plantações. Infelizmente muitos rios paulistas estão sendo poluídos devido ao descaso dos órgãos municipais competentes.
Este jornalista, que nasceu no interior, aprendeu na geografia do ensino fundamental que o rio Nilo fica no Egito, o rio Tejo fica em Portugal, caminho das caravelas para o oceano, mas nunca teve condições de aprender onde nasce o rio Palmitalzinho e onde ele deságua.


*Alcindo Garcia é Jornalista - e-mail: alcindogarcia@uol.com.br