O conhecimento de si mesmo

Por Sinval Lacerda

Para o conhecimento de si mesmo é fundamental que o ser conheça o seu sistema mental e sensível, a vida e a atividade dos pensamentos que, segundo a Logosofia, são os agentes causais do comportamento humano e elimine as deficiências psicológicas. Os pensamentos devem ficar subordinados a nossa razão e a nossa vontade, o que impede que eles nos levem a fazer o que não queremos e não nos impeça de fazer o que nos propomos.

Para conseguirmos um domínio sobre eles é imprescindível conhecê-los, identificá-los e selecioná-los, procurando ao mesmo tempo eliminar os negativos e aumentar em número e qualidade os que estão em conformidade com os nossos propósitos de bem.

Na minha experiência tenho comprovado que, à medida que vamos conhecendo e dominando os pensamentos em nossa mente, consequentemente vamos melhorando a nossa conduta e encaminhando a nossa vida em direção para a qual fomos criados.

Com a ampliação do conceito de vida, sentimos a necessidade de atuar de acordo com as Leis Universais, que representam a suprema vontade do Criador, o que nos leva a dedicar mais tempo a nossa realização interna, em vez de nos projetarmos somente para fora de nós mesmos, como tem acontecido com a maior parte dos seres humanos.

A realização do processo de evolução consciente, preconizada pela Logosofia, desperta a nossa consciência superior a qual alimenta os grandes anelos de superação que se encontram adormecidos dentro de nós, com os quais vamos criando uma nova individualidade e uma vida bem superior à comum.

A imaginação e a crença pessoal me levaram a forjar uma falsa imagem do que era. Na tentativa de conhecer a minha verdadeira realidade interna, concluí que se eu concituasse partindo em busca da imagem fictícia apresentada pela imaginação, jamais encontraria o meu verdadeiro ser.

Com a orientação dos ensinamentos logosóficos, tenho caminhado em direção da minha realidade interna, à medida que vou conhecendo a minha conformação psicológica, o meu caráter, o funcionamento do meu sistema mental e sensível e a a vida e atividades dos pensamentos que atuam na minha mente.

Baseado na minha experiência e na observação dos demais, pude perceber que enquanto o ser não toma contato com o conhecimento logosófico, vive num estado de insegurança e de indiferença com relação aos objetivos essenciais da vida.