CONVERSÃO É PRECISO

Por Alcindo Garcia*

Meu livro de cabeceira é a Bíblia Sagrada. Assim, por meio de Lucas, descobri que sou de uma religião bíblica. Principalmente no episódio da Encarnação do Verbo. Um detalhe significativo para nós católicos. No sexto mês o anjo Gabriel foi enviado por Deus (Vejam bem, enviado por Deus) a uma virgem da Galiléia, da cidade de Nazaré para anunciar que ela (Maria) fora escolhida para ser a Mãe do Salvador (Lucas 1, 26). Maria aceitou – e deu o seu Sim. (Lucas 1, 26 a 38). Ali nasceu uma saudação angélica inspirada pelo Espírito Santo. O anjo fez a vez de mensageiro de Deus, quando reverente saudou a Virgem com as primeiras palavras da Ave-Maria: “Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo, Bendita és tu entre as mulheres”. (Lucas 1, 26 a 38). Foi o primeiro devoto de Maria esse mensageiro de Deus. Uma oração que veio do Céu. Ao visitar Isabel, sua prima, grávida de João Batista, esta também inspirada pelo Espírito Santo saudou Maria quando João lhe estremeceu no ventre: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre¨. Ali nasceu há mais de dois mil anos a oração da Ave Maria.
Há 100 anos a virgem apareceu em Fátima a três pastorinhos, quando ocorreu o milagre do sol, visto por mais de 100 mil pessoas. Havia uma guerra de Hitler na Alemanha contra vários países europeus com matança generalizada. Os apelos da Virgem em favor da paz não foram acolhidos e veio a “Gripe Espanhola” exterminando milhares de pessoas. O nome nada tinha a ver com a Espanha que era um país neutro. A gripe espalhou milhares de mortos no mundo interiro.
Hoje a pandemia do vírus corona está matando milhares de pessoas no mundo. Há que se pedir a Deus para eliminar essa doença do universo com a promessa de uma mudança radical no comportamento da atual sociedade. Deus é bom, não castiga, mas permite a sucessão de fatos, enquanto a sociedade moderna persiste em disseminar o ódio no lugar do amor.

*Alcindo Garcia é Jornalista - e-mail: alcindogarcia@uol.com.br