DOCES COMO JABUTICABAS

Por Alcindo Garcia*

Acho curiosas as jabuticabeiras. Seus frutos nascem no tronco, o que as diferencia das outras árvores. Esta diferença me cativa porque mostra o inusitado; na minha profissão o inusitado é notícia. São as diferenças que me encantam, nas árvores, nas frutas, nos pássaros, na natureza e nas pessoas. Fáceis de colher, as jabuticabas são bagas deliciosas e suculentas. Diferentes dos abacaxis, difíceis de serem descascados.
Abacaxis há de diversos tipos. Permito-me catalogar algumas espécies: Reuniões infindáveis, principalmente aquelas onde desfilam egos inflados. Presença de gabarolas. Não vá ao dicionário, gabarola não é fruta. Gabarola é gente que se gaba a si mesmo. Inquieto-me com os invejosos que tentam destruir quem eles admiram, cobiçando seu lugar, talento e sorte. Não gosto de decretos que não saem do papel, nem de projetos megalomaníacos, porque existem coisas pequenas para se fazer com a mesma importância de coisas grandes. Não participo de comissões instaladas sempre com o objetivo de não cumprir nada. Não leio pela cartilha daqueles que para não cumprir propósitos criam comissões. Não tenho tempo para reuniões intermináveis para discutir estatutos, normas, procedimentos e regulamentos internos, porque sei que tudo vai acabar no registro de uma ata e o papel aceita tudo.
Não gosto de gente que anda com o nariz empinado, porque tropeçam fácil e quando tropeçam perdem a pose e desarranjam o penteado, que a cabeleireira demorou tanto para fazer. Não tenho tempo para ficar administrando melindres de pessoas que ficam vestindo carapuças que não foram feitas para elas.
Não acho de bom tom, gente que vive contando vantagens, propagando seus mil alqueires de terras, suas cabeças de gado e suas caminhonetes, porque não me interessa saber, embora elas gostem de se exibir. Prefiro viver ao lado de gente simples, que ri dos seus tropeços, não se encanta com o sucesso, não se deslumbra com cargos. Desejo tão somente desfrutar da amizade de pessoas que são rastros de Deus na minha vida. Doces como jabuticabas.


*Alcindo Garcia é Jornalista - e-mail: alcindogarcia@uol.com.br